1º FESTIVAL LITERATURA FANTÁSTIKA

 

Em um país marcado por tantos acontecimentos fantásticos, desde situações políticas que desafiam qualquer roteirista a catástrofes apocalípticas como a de Mariana-MG, somados ao aumento de repressões e questionamentos inimagináveis até por George Orwell, ainda produzimos poucas Literaturas Fantástikas.

Questionarmos os gêneros pode possibilitar uma forma alternativa de encarar nossa realidade, com estranhamento, para além do realismo? A fantasia, a ficção científica e as ficções especulativas são revolucionárias?

O 1º Festival Literatura Fantástika: Um Brasil Irrealista trará essa discussão em eventos na Casa das Rosas e na Tapera Taperá. Haverá também uma programação on-line com chats e hangout.

Durante o festival, será lançada a primeira edição da Revista Fantástika 451, que trará justamente artigos e resenhas que abordam o tema “Um Brasil Irrealista”, além de assuntos relacionados com as Literaturas Fantástikas em geral [saiba mais].

Arte do evento: Aline Shinzato

Compartilhe! URL encurtado: https://wp.me/p9dapU-5z


1º FESTIVAL LITERATURA FANTÁSTIKA: UM BRASIL IRREALISTA

Hashtag: #fk451

PROGRAMAÇÃO

De 27 de janeiro a 3 de fevereiro de 2018

Atividades on-line e presenciais na cidade de São Paulo

27 de janeiro de 2018, sábado, das 11h às 13h

PRESENCIAL e ONLINE | Tapera Taperá. Galeria Metrópole, 2º andar, loja 29, Av. São Luís, 187 – República, São Paulo – SP, 01046-001
Evento no facebook

Com transmissão ao vivo pela página do FB da Tapera das 11h30 às 12h15.

11h | Boas-vindas e apresentação do grupo
Marília Ramos. Formada em Relações Internacionais e História pela USP, trabalha com direitos humanos e é leitora e entusiasta de ficção científica e fantástica. É participante da Fantástika 451.

11h30 | Literaturas fantástikas: a realidade brasileira é uma ficção científica?

Participam:

  • Cláudia Fusco. Jornalista e mestre em Science Fiction Studies pela Universidade de Liverpool, na Inglaterra. Já ministrou cursos em espaços como Museu da Imagem e do Som, Casa do Saber, USP e Youpix (por voto popular).
  • Fábio Fernandes. Escritor, autor de “Os dias da peste” entre outros. Tradutor de China Miéville, Phillip K. Dick e William Gibson. Incluído na antologia “The Lightspeed – People of Colo(u)r Destroy Science Fiction!“, British Fantasy Award
  • Mediação: Ana Rüsche. Escritora com 6 livros publicados. Doutora em Letras pela FFLCH-USP com tese sobre utopia e feminismo, no qual investigou obras de Margaret Atwood e Ursula Le Guin. Participa da Fantástika 451.

12h15 | Intervalo e encerramento da transmissão online

12h30 | Perguntas e comentários de quem estiver presente


.

30 de janeiro, terça-feira, das 20h às 21h30

PRESENCIAL | FFLCH-USP. Prédio da Letras, sala 204, 2o andar.
Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Av. Prof. Luciano Gualberto, 298-460 – 2º andar, Cidade Universitária, Butantã, São Paulo – SP, 05508-080.
Evento no facebook


Insólito brasileiro: em busca de um cânone?

Conversa a respeito do projeto de pesquisa e extensão História do Insólito na Literatura Brasileira de Bruno Anselmi Matangrano (USP) e Enéias Tavares (UFSM). A pesquisa tem como objetivo mapear e divulgar a literatura fantástica brasileira, em todas as suas vertentes, desde o romantismo até a contemporaneidade.

Participam:

  • Amara Moira é travesti, feminista, autora do livro autobiográfico “E se eu fosse puta” (hoo editora, 2016) e está prestes a defender o doutorado sobre o “Ulysses” de James Joyce na Unicamp.
  • Bruno Anselmi Mantangrano. Mestre e doutorando em Letras pela Universidade de São Paulo (USP), dedica suas pesquisas às literaturas simbolista e fantástica. Edita as revistas Desassossego e Non Plus, da USP, e a coleção O Melhor de cada tempo, da Ed. Vermelho Marinho, além de ser tradutor e escritor.
  • Elton Furlanetto. Doutor pela FFLCH-USP tendo estudado utopia e ficção científica. Atualmente leciona língua inglesa e literatura, principalmente a tradução dos gêneros fantastikos.
  • Enéias Tavares. Professor e pesquisador de literatura na UFSM e criador da série literária transmídia Brasiliana Steampunk. É um dos curadores da exposição “Fantástico Brasileiro”, pesquisa que mapeia a história da literatura fantástica brasileira do séc. XIX ao presente.

Mediação:

  • Drielle Alarcon é formada em Filosofia e Comunicação Social, ambas pela Universidade de São Paulo. Escritora, interessa-se por narrativas contra-hegemônicas. É uma das envolvidas na produção da Revista Fantástika 451 e, atualmente, prepara o seu primeiro livro.
  • George Amaral. Publicitário, Mestre em Teoria Literária pela USP e especialista em Roteiro Audiovisual pela PUC-SP. Sua pesquisa aborda as possibilidades de reflexão crítica proporcionadas pelo estranhamento inerente ao fantástico. Atua como designer, ilustrador e roteirista.

 

31 de janeiro, quarta-feira, das 20h às 21h

ON-LINE | Hangout On Air, com transmissão ao vivo pelo YouTube

20h00 | Literaturas fantástikas brasileiras: arqueologias e especulações

Entrevistada:

M. Elizabeth “Libby” Ginway. Professora da Universidade de Flórida, EUA. É autora de “Brazilian science fiction: cultural myths and nationhood in the land of the future” (2004), publicado no Brasil em 2005 (Ficção científica brasileira – mitos culturais e nacionalidade no país do futuro, ed. Devir). Coeditou, ao lado de J. Andrew Brown, o livro “Latin American science fiction: Theory and practice” (Palgrave, 2012). Atualmente trabalha em um estudo comparativo sobre ficção científica e fantasia chamado “Transexualidade, ciborgues e mortos-vivos: o corpo na ficção científica brasileira e mexicana”

Comenta:

Alfredo Suppia.  Professor no depto. de Cinema, Institudo de Artes da Universidade Estadual de Campinas – Unicamp. Autor de “A Metrópole Replicante: Construindo um Diálogo entre Metropolis e Blade Runner” (2011) e “Atmosfera Rarefeita: A Ficção Científica no Cinema Brasileiro” (2013).

Entrevistam:

  • Ana Rüsche. Escritora com 6 livros publicados. Doutora em Letras pela FFLCH-USP com tese sobre utopia e feminismo, no qual investigou obras de Margaret Atwood e Ursula Le Guin. Participa da Fantástika 451.
  • Elton Furlanetto. Doutor pela FFLCH-USP tendo estudado utopia e ficção científica. Atualmente leciona língua inglesa e literatura, principalmente a tradução dos gêneros fantastikos.
  • Hailey Kaas. Tradutora e escritora. Socialista, residente em São Paulo, tem se dedicado principalmente à pesquisa sobre Linguística, Transfeminismo(s), Teoria Queer, Estudos de Gênero, entre outros assuntos relacionados a gênero e sexualidade. Também é fundadora e coordenadora do site e Coletivo Transfeminismo, que busca, entre outras coisas, expandir e incentivar
  • Simone Vollbrecht. Mestranda em Literatura e Crítica Literária pela PUC-SP, onde pesquisa a recepção da Ficção Científica pela crítica brasileira. Advogada de direitos autorais, diretora da Mensa Brasil e editora do Posfacio.
  • Thalita Quachio. Formada em Processamento de dados e História pela USP, atua como analista de sistemas há 15 anos. Participante do grupo Fantástika 451, é uma grande apreciadora de ficções especulativas.

.

Quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018, das 20h às 21h30 em Brasília

ON-LINE |Via Twitter. Hashtag hashtag #fk451 (sugerimos utilizar a ferramenta TweetDeck)

20h00 | PopFantástika: conversas sobre literaturas com DNA híbrido

O chat discorrerá sobre a importância de portais, sites, revistas, canais e encontros que debatem desde literatura até filmes, séries, músicas, comportamentos e muitas expressões da cultura pop no Brasil.

Participam:

  • Adriana Amaral @adriaramaral. Pesquisadora em Mídia, Cultura e Comunicação com pós-doutorado pela University of Surrey, Reino Unido. Líder do Grupo de Pesquisa CULTPOP – Comunicação, Cultura e Tecnologias.
  • Antonio Luiz M. C. Costa @aluizcosta. Formou-se em engenharia de produção e filosofia, fez pós-graduação em economia e foi analista de investimentos e assessor econômico-financeiro antes de reencontrar sua vocação na escrita, no jornalismo e na ficção especulativa. Além de escrever sobre a realidade na revista CartaCapital, é autor da série Crônicas de Atlântida e de dezenas de contos e novelas publicadas pela editora Draco.
  • Camila Cerdeira @camilaangel. Fotografa, preta e feminista. Cearense residindo em Petrolina, começou online como colaboradora do site NaTV e atualmente se encontra como co-editora da Preta, Nerd & Burning Hell.
  • Rodrigo van Kampen @rodrigovk. Escritor, editor da Revista Trasgo, redator publicitário e foge de moto nos fins de semana. Já publicou em coletâneas da Aquário, Draco e em publicações independentes. Mora em Campinas com sua esposa, filha e uma vira-lata, escreve em viverdaescrita.com.br.
  • Mediação: Vanessa Guedes @nessoila. Contista e programadora. Publica contos de horror de vez em nunca e poemas em outros idiomas. Metida na weird fiction, senta no ombro gigantes para balançar as pernas e o olhar as estrelas.

.

Sábado, 3 de fevereiro de 2018, das 17h às 20h

PRESENCIAL | Casa das Rosas. Av. Paulista, 37 – Paraíso, São Paulo – SP, 01311-000
Evento no facebook

.

Literaturas Fantástikas: monstros brasileiros não têm nave espacial?

17h às 18h15: Quem são nossos monstros?

Boas-vindas:

  • Fábio Kabral. Formado em artes dramáticas na Casa das Artes de Laranjeiras (CAL) e Letras na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e na Universidade de São Paulo (USP). Escritor, autor de “Ritos de Passagem” e o “O caçador cibernético da Rua Treze”, entre outros textos.

Debatem:

  • Lady Sybylla. Geógrafa, professora, escritora e mestra em Paleontologia e capitã da Frota Estelar.
  • Luana Botelho, Coordenadora de Marketing da Editora Morro Branco
  • Roberto de Sousa Causo. Doutor em Letras pela USP, Roberto Causo é autor de três livros de contos, de quatro romances e do estudo Ficção Científica, Fantasia e Horror no Brasil. Suas histórias, mais de 80, apareceram em 11 países.
  • Mediação: Deborah Happ | Escritora e roteirista. É formada em Midialogia, pela Unicamp, e Mestre em Estética e História da Arte, pela USP. Autora da novela “Carregue meu Cadáver” e roteirista da websérie “Dilemas de Gente Branca

.

18h30 às 20h: Para onde vai essa nave espacial?

Debatem:

  • Aline Valek. Escritora e ilustradora. É autora do romance “As águas-vivas não sabem de si“, publicado pela Fantástica, selo da Editora Rocco. Também é criadora da zine mensal “Bobagens Imperdíveis“.
  • Dolores Galindo. Professora de Psicologia, com Doutorado e Mestrado em Psicologia Social. Coordena o Laboratório Tecnologias, Ciências e Criação na Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT. Organizou coletâneas que questionam o especismo e antropocentrismo, dentre elas “Gênero e Tecnologias – Tecnologias do Gênero” pela EDUFMT (2012) e “Relações multiespécies em rede: feminismos, animalismos e veganismo” pela EDUEM (2017).
  • Bárbara Prince. Formada em Editoração pela ECA-USP e trabalha há 8 anos no mercado editorial. É editora na Aleph, onde trabalha com obras de ficção científica, fantasia e cultura pop.
  • Luiz Bras. Escritor, natural de Cobra Norato, pequena cidade da mítica Terra Brasilis. É ficcionista e coordenador de laboratórios de criação literária. Curador do site Ficção Científica Brasileira. Autor da ciber-rapsódia Distrito federal.
  • Mediação: Marília Ramos. Formada em Relações Internacionais e História pela USP, trabalha com direitos humanos e é leitora e entusiasta de ficção científica e fantástica. É participante da Fantástika 451.

Encerramento: Lançamento da 1ª edição da Revista Fantástika 451!

.


CRÉDITOS
Produção do festival: Ana Rüsche, André Colabelli, Débora Happ, Hugo, Marilia Ramos, Renata Oliveira do Prado e Thalita Quachio.
Editam a Revista: Ana Rüsche, Drielle Alarcon, George Amaral, Hugo Maciel de Carvalho, Marília Ramos, Renata Oliveira do Prado e Vanessa Guedes.
Contato: fantastika451@gmail.com

Anúncios